Fim de semana com jazz ao ar livre

Não é uma coisa simples escutar jazz ao vivo em Brasília, por isso que o programa desse fim de semana é mais do que legal: sábado e domingo tem Festival Internacional I Love Jazz, com quatro bandas de Nova Orleans e Nova Iorque. Pra melhorar, dois detalhes importantes: o evento é ao ar livre (no Parque da Cidade) e de graça.

Desde a primeira edição, em 2009, o festival passa por Brasília – este ano ele acontece também no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte. Sinal de que temos público pra ouvir esse som. É uma dica para os empresários da cidade, ou não é?

A diferença do I Love Jazz para os outros festivais do gênero, além do fato de tirar o foco de São Paulo, é o investimento total no jazz clássico, de raiz. E o bacana é que normalmente as bandas são escolhidas de um jeito democrático: um pouquinho de cada subgênero, do mais animado e dançante ao mais instrumental, tem pra todo gosto.

Se for pra dançar, a dica é a George Gee Swing Orchestra, formada por doze músicos que costumam tocar para plateias animadas, daquelas que dançam fazendo passinhos, como se estivessem em 1930. Se for pra ouvir um bom vocal, tem Meschiya Lake and The Little Big Horns, essa turma moderninha da foto, que começou se apresentando nas ruas de Nova Orleans e lançou o primeiro álbum em 2010, rendendo prêmios de melhor intérprete feminina.

Nota: o show do Terence Blanchard Quintet, que estava marcado para o dia 4, às 18h45, foi cancelado.

Bora?
Festival Internacional I Love Jazz
Estacionamento 10 do Parque da Cidade
* 4 de agosto (atualizado)
17h – Meschiya Lake and The Little Big Horns
18h45 – George Gee Swing Orchestra
* 5 de agosto
17 horas – Scott Hamilton Quartet
18h45 – Dukes of Dixieland
Mais informações: ilovejazz.com.br
Foto: Divulgação

Ih, não deu tempo no sábado…

Ter um cachorrinho é uma das melhores coisas da vida mas… dar banho nem sempre é divertido (quando temos mais que dez anos de idade). A outra opção para não ter um animalzinho fedorento dentro de casa é leva-lo  ao petshop – tarefa sempre presente na lista das coisas-a-fazer do sábado de manhã, e sempre deixada para depois.

Pronto, hoje é segunda-feira e seu bichinho não vai passar mais uma semana sem banho, vai? E você nem precisa sofrer por causa disso.

Olha o que eu achei outro dia debaixo de um prédio da Asa Sul: um petshop com posto avançado! É melhor do que o já tradicional delivery de cãezinhos porque você não precisa se preocupar com a hora que eles buscam, que horas passam para deixá-lo… O Petshower, um serviço da veterinária A Bela e a Fera, simplesmente estaciona, dá o banho caprichado no seu melhor amigo e se manda em seguida.

Pronto! Pode riscar o banho do seu totó da lista dos compromissos chatos da semana.

Bora?
Petshower
3443-1704 / 9278-9734 / 9283-1634
A partir de R$ 30

Golpe baixo pra você adotar um bichinho

Se você, como eu, adora animal e está se coçando pra adotar um, aí vai um incentivo que é quase golpe baixo. Acesse o link abaixo, com fotos do Centro de Zoonoses do DF. Vai com calma, as imagens são fortes.

Álbum de fotos

Nesta sexta (27), até as 17h, estudantes do projeto de extensão Zoonoses, da UnB, estão lá no centro, incentivando e orientando pessoas interessadas em levar essas coisinhas lindas pra casa. São 30 cães e gatos, vacinados, fofos e abandonados.

Desculpa avisar assim, em cima da hora, fiquei sabendo dessa campanha de sensibilização agora… Mas se não der pra ir hoje, o Centro de Zoonoses fica aberto de segunda a sexta. É só tomar a decisão e aparecer lá.

Definitivamente, vai ser o meu destino em breve. Minha irmã está fazendo uma campanha de baixo nível, que inclui o envio sistemático de fotos que cortam o coração. E está dando certo.

Bora?
Centro de Controle de Zoonoses do DF
Segunda a sexta, das 11h às 17h.
Setor de Áreas Isoladas Norte (SAIN) – Estrada Contorno do Bosque, lote 4, Asa Norte, ao lado do Setor Militar Urbano.
Tel. 3341-1900 e 3341-2084
Foto: Marcelo Brandt/UnB Agência

A meta é inspirar você em 10 minutos

Ossobuco, aquele corte de carne cheio de tutano, é o nome de um evento mensal organizado por um grupo de amigos que começou na casa de um deles e, desde janeiro, foi parar no teatro da Livraria Cultura do Iguatemi: “Com muitas pretensões e sem nenhum dinheiro, nosso objetivo é compartilhar inspiração.”

E a inspiração vem em forma de palestras rápidas e objetivas, sobre qualquer coisa que possa interessar alguém. Na próxima segunda-feira (30), a partir das 20h, serão quatro apresentações. A programação me deixou curiosa pra saber como essas pessoas vão falar sobre isso em 10 minutos (é o tempo de cada palestra):

– Lidando com a compulsão por fotografar, com Bruno Bernardes (essa carapuça eu vesti: instagram, saia desse corpo que não te pertence)
– Pensamento compartilhado: um caminho para tirar suas ideias da cabeça para a realidade, com Flavio Ludgero
– Seja ágil, com Leandro Ferreira
– Vendendo conceitos, empacotando ideias, com Daniel Macedo

É a primeira iniciativa do tipo em Brasília, que segue o caminho de vários eventos internacionais com o mesmo princípio: palestras de poucos minutos sobre “ideias que merecem ser disseminadas”, como define a fundação norte-americana TED, a mais famosa do ramo – você provavelmente já assistiu a uma das apresentações que rodam a internet.

O Ossobuco diz ter se inspirado em eventos como Pecha Kucha e Ignite. Esse último limita o tempo da apresentação em cinco minutos, com a exibição de 20 slides, trocados automaticamente a cada 15 segundos.

No mundo ideal, essa regra estaria na Constituição, não acha? Com multa pra quem te obrigar a assistir a uma palestra interminável e com mil slides cheios de texto. Se for no trabalho, então, as vítimas de tortura deveriam ter direito a uma semana de folga. E tenho dito.

Bora?
Ossobuco
Evento gratuito, limitado a 200 pessoas
Dia 30/07, às 20h (a sala será aberta às 19h30)
Teatro Eva Herz – Livraria Cultura do Iguatemi
Saiba mais: http://ossobu.co
Foto: Marcos Felipe

Precisa apresentar a Boulangerie?

Precisar, não precisa, mas é sempre bom ter uma desculpa pra falar de gordices.

Sou testemunha que se trata da padaria mais querida dos brasilienses – moro na quadra e já encontrei amigos do Sudoeste e até de Águas Claras na fila. O motivo é que a padaria, criada por um francês, é um passaporte carimbado para as autênticas boulangeries francesas: croissants, tartes de frutas, pains au chocolat, baguettes e todo tipo de delícia que atenda pelo nome de pão.

A padaria que começou pequena, na 106, depois ampliou pra uma loja apaixonante na QI 17 do Lago Sul, e por último abriu sua atual estrutura, na 306 sul. A deliciosa varanda – que era a vedete da loja e se estendia pelo jardim, com mantas de piquenique – hoje só funciona aos finais de semana, mazelas de um atendimento que ainda não tem a qualidade com que o proprietário sonha.

Mesmo com as filas e a instabilidade do serviço no local, a Boulangerie é uma parada obrigatória na hora de abastecer o café da manhã e a cesta de piquenique.

Bora?
La Boulangerie
CLS 306 bloco B loja 10
3244-1394
seg a sáb, 7h às 20h, e dom, 7h às 15h

Atualização (20/10/15)
Agora, a Boulangerie também está nos endereços:
– 212 Norte
– QI 21 do Lago Sul