Amor aos livros não passa pelo shopping

É o discurso louvável da maior parte dos pais que eu conheço: vamos olhar livrinhos, procurar algo bacana para estimular a leitura dos pequenos. Destino obrigatório: Livraria Cultura. Claro: tem coisa mais fofa do que aquele espaço de leitura para os pequenos? Amplo, confortável, os livros ali disponíveis convidando a um momento de leitura de papais e filhotes nos almofadões espalhados pelo chão.

O problema são os momentos que se desenrolam depois desta cena de propaganda de margarina. Você precisa ir embora da livraria e, cara, você não vai levar os dez livrinhos, cinco DVDs e três brinquedos que o seu pequeno escolheu.

Posso te contar uma coisa? Estimular a leitura das crianças não tem nada a ver com consumo. Brasília tem pelo menos um espaço de leitura infantil muito fofo, dentro da Biblioteca Demonstrativa de Brasília – com mesinhas adaptadas e títulos organizados por temas e coleções.

Moro ali do lado, e faço da rotina de ir a pé com os meninos buscar os livrinhos um ritual delicioso. Conversamos sobre os temas que vamos procurar nas prateleiras e, na volta, sobre a importância de lembrar bem onde guardamos nossos pequenos tesouros emprestados, e dos cuidados de conservação porque, afinal de contas, aqueles livrinhos não são só nossos – são também dos próximos amiguinhos que vão emprestá-los.

É de graça. E de brinde, você ensina a ter responsabilidade e amor a tudo o que é público.

Bora?
Biblioteca Demonstrativa de Brasília
Segunda a sexta, 7h30 às 23h e sábados, 8h às 14h
EQS 506/507 W3 Sul
3443.0852

PS: Já me falaram do espaço criança da Biblioteca Nacional de Brasília, mas eu ainda não conheço. Alguém aí já viu se é legal?

12 respostas em “Amor aos livros não passa pelo shopping

  1. É verdade! E mais ainda, amor aos livros dos filhos passa tambem pelo amor aos livros dos pais. Ver os pais lendo diariamente eh o maior incentivo a leitura que um filho pode receber.

  2. Théo segue o roteiro. Olha tudo na Cultura e de vez em quando leva algo pra casa. Já na Biblioteca Demonstrativa levei uma ou duas vezes há algum tempo, mas difícil era ele ficar sentado quieto por lá, talvez esteja na hora de novas tentativas.

  3. Carol, os meninos gostam tanto da BDB que até participaram da colônia de férias, em julho. O problema que também adooooram comprar os “seus” próprios livros. Bem difícil ensinar esse desapego, principalmente quando se trata do clássico: Diário de um Banana! rsrs bjs

  4. Pingback: O tamanho do descaso | quadrado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s