Atenção! Brasília tem carnaval

História do Carnaval

Passar carnaval em Brasília já foi sinônimo de desgraça pura, depressão completa, tristeza sem fim. Era um Pacotão e olhe lá – de resto, muito cinema, sono e céu nublado. Calma que não vou dizer que o carnaval candango é o melhor do mundo, mas peraí… já melhorou demais!

Primeiro que muita gente, e cada vez mais, fica na cidade: quem não é muito carnavalesco (como eu) e quem foge das cidades lotadas e caras nessa época do ano (eu também). Essa turma que fica mostrou, no ano passado, que o carnaval brasiliense existe sim, e nem só de marchinha ele vive. Era tanta gente na rua e tanta festa legal que entrou para a história – pra minha, pelo menos.

Então vamos lá, que a programação é boa. Algumas opções que a gente selecionou pra você:

– Babydoll de Nylon
Sábado, 15h, no balão da 201/401 Sul.
“O menor, mais rídiculo e menos promissor bloco de carnaval de Brasília”. Com essa propaganda, quem não se apaixona? Em seu terceiro ano, o Babydoll já entrou no calendário das festas mais divertidas do feriado. No som, “bregueiras, baianas, tosquices, marchinhas e outras lindezas sonoras.”
Página do evento: aqui
Página do Babydoll: aqui

– À Tardinha do Cobogó
Sábado, das 15h às 19h, no Cobogó (704/705 norte).
A loja da árvore mais bonita de Brasília promove uma tarde com o DJ Montana, nosso guardião do roquenrol. Eles avisam logo: “Não haverá sambinha, telecoteco, balacobaco, mas Montana promete som de qualidade com clássicos de todos os tempos”.
Página do evento: aqui

– Bloco das Perseguidas
Domingo, a partir das 15h, na Pracinha da 201 Norte.
No ano passado, cartazes ofensivos contra mulheres foram colados na 201 Norte, onde fica o Balaio, que além de bar e balada é um espaço de discussão constante de movimentos feministas e de gênero. Em resposta, as militantes lançaram o bloco em janeiro, e a festa já é sucesso. No domingo, as Perseguidas saem da 201 Norte para encontrar o Pacotão, que parte da 302/303 Norte rumo a 504 Sul.
Página do evento: aqui

 Bloco da Tesourinha
Domingo, das 15h às 23h, na praça da prefeitura da 410 Norte.
Aqui a pegada é mais família: um bloco inspirado nas frevolanças de Olinda e Recife, onde adulto brinca junto com criança e, animados por frevo e outros ritmos regionais bem populares, percorrem itinerários quase sempre irrelevantes – o objetivo não é necessariamente ir a algum lugar, apenas brincar ao longo de um trajeto qualquer. O nome se explica: a turma sai da 410 Norte, dá a volta na tesourinha da 209/210 e volta para o ponto de partida. Criançada fantasiada, frevo, banda de pífanos, alegria alegria.
Página do evento: aqui.

– Confronto Soundsystem
Domingo, das 15h às 3h, na Praça do Trabalhador.
Tradicional festa de ragga com forte influência hip-hop, o Confronto faz o seu baile de carnaval em frente à Galeria dos Estados, na área central do Plano.
Página do evento: aqui

– Antibloco
Segunda, das 14h às 2h, na Praça do Trabalhador (em frente à Galeria dos Estados).
Outra opção pra quem gosta de música eletrônica. O evento é produzido pelo 5uinto – a festa eletrônica semanal da cidade –, que leva seus DJs pra rua pela primeira vez, e de graça.
Página do evento: aqui

– Aparelhinho
Segunda, concentração às 15h, em frente ao Banco do Brasil do Setor Bancário Sul.
Os DJs do Criolina construíram um carrinho de madeira, com uma caixa de som e só. Foi uma das novidades boas do carnaval passado, juntando clássicos carnavalescos com música eletrônica, latina, caribenha, africana… aquela mistureba do Criolina que a gente adora.

O traje oficial do bloco é azul e laranja. E à noite eles vão parar no Calaf, que pega fogo com o Criolina especial de carnaval. Atenção para a campanha de crowdfunding que está arrecadando dinheiro para manter o Aparelhinho.
Página do evento: aqui

– Criolina Carnavalesca
Segunda, a partir das 21h, no Calaf.
Uma parte do público acompanha o Aparelhinho desde cedo e já emenda com o Calaf, então imagine o nível da animação. Imaginou? Multiplique. É um clima de salve-se quem puder que rende, no mínimo, muita risada. Além do baile brega com os DJs do Criolina – Barata, Pezão e Oops –, duas bandas vão misturar carnaval com rock e ragga.
Página do evento: aqui

* Atenção: o evento U.M. Carnaval Diferente no Loca como tu Madre foi cancelado!

22 respostas em “Atenção! Brasília tem carnaval

  1. Sempre que passei o carnaval em Brasillia (nao sera o caso esse ano), me diverti muito com as programações de bares e festinhas de rock. Carnaval pra mim são quatro ou cinco dias de folga em que sempre estão cheios os bares com banda tocando rock ao vivo. Tinha semrpe o carnaval do Mal (acho que acabou), uma festa que reunia tipo mil pessoas, estilo da Play, numa casa no Park Way.

    Essa história de que Brasilia fica vazia em dezembro e no carnaval é conversa da carochinha. A cidade está sempre cheia. E tem muita coisa legal, mesmo pra quem nao da a minima pra carnaval, como eu.

    Beijos

  2. o Babydoll de nylon já está indo pro seu terceiro ano! é o bloco mais tradicional de bsb desde 2011!! hehhe

    Ah, e tem também o carnaval do Minas Brasília Tênis Clube, o Carnaval do Sol: dias 11 e 12!

      • Confesso que não gostei nada do Baby doll de Nylon. A moçada estava animada para ficar parada em torno do balão e o som era muito ruim. Mas animação tinha! Por outro lado, senti muita falta de ver o Ventoinha de Canudo na lista. Este ano completa 10 anos e animou geral junto com Tesourinha ontem. Amanhã novamente na 410 Norte, rolando até ciranda em torno do balão.

  3. Ahahahahhahaha me amarrei nas dicas! Confesso que me senti um ET desinformado (será que existe ET informado?) e com certeza irei conferir pelo menos algumas dessas loucurinhas dessa Brasília carnavalesca

  4. Eu vi esse de rock’n’roll da asa norte, no correio…
    Diferente

    ———————————
    No bloco Populares em Pânico não há espaço para marchinhas, axé e nem frevo

    Com três anos de existência, o Populares em Pânico vai levar o bloco de carnaval às ruas no domingo (10/2) a partir das 12h, no estacionamento do Carrefour Bairro da Asa Norte. A grande diferença é que nesse bloco não há espaço para marchinhas, axé e frevo. O som que toma conta das ruas é o rock and roll.
    ———————————

  5. Pingback: Contribuindo para o aparelhamento do estado | quadrado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s