Olhar sensível, fala sensível

daniela cadena

Tenho uma teoria 100% não científica e sem qualquer compromisso com a realidade, mas que faz total sentido pra mim: se você se interessa pelas fotografias de uma pessoa, você vai se interessar em conversar com ela. O contrário também vale: se a conversa de alguém te inspira, dê uma olhadinha no instagram dela.

O olhar, o pensamento e a fala são tão conectados, pra mim, que ouso atestar essa teoria como verídica. Mas como em toda teoria, as exceções são várias, claro: malas que são ótimos fotógrafos ou pessoas superinteressantes que não conseguem tirar nem foto 3×4. Acontece, mas é a exceção (segundo a minha teoria). Então vamos focar na regra.

Hoje é Dia Mundial da Fotografia. Melhor seria dizer que hoje é Dia do Olhar. Algum grande fotógrafo de quem não lembro o nome disse que uma boa fotografia não se faz com equipamentos caros, efeitos complexos e conhecimentos técnicos, mas sim com o olhar.

É na sensibilidade que mora uma boa imagem: aquela que não só ilustra, mas te diz efetivamente alguma coisa importante. E assim são as pessoas: algumas só figuram, compõem a paisagem. Outras acrescentam.

Isso tudo pra dizer que, se você acreditar na minha teoria, vai querer ouvir os fotógrafos que participam de debates a partir de amanhã, no Brasília Shopping. As discussões fazem parte da exposição “Brasília. Monumento a Céu Aberto”, que abre hoje com coquetel às 19 horas e fica até o dia 15 de setembro.

Já conversei pessoalmente com a maioria deles, e isso me faz concluir que, apesar das exceções, a regra se mantém. Olhar sensível, fala sensível.

Bora?
Brasília. Monumento a Céu Aberto
Exposição de fotos (1º piso do Brasília Shopping) e talk shows semanais (das 19h às 21h30, no Teatro Brasília Shopping).
20/08 – Patrick Grosner e José Maria Palmieri
26/08 – Daniela Cadena e Lula Lopes
03/09 – Joana França e Diego Bresani
09/09 – Vitor Shietti
Perfil dos fotógrafos: aqui

Essa foto aí de cima é da Daniela Cadena, que já passou por aqui.

6 respostas em “Olhar sensível, fala sensível

  1. Débora, também pensei isso hoje, ao ler este post… além da sensibilidade… do olhar, do perceber… que capacidade de escrever… deliciosamente, Dani. Gostaria de assistir a alguma dessas conversas para “atestar” sua teoria :).

  2. Pingback: A falta que faz o lugar afetivo | quadrado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s