A gente não quer estacionamento subterrâneo na Esplanada

esplanada

A gente quer ônibus. A gente quer metrô. A gente quer bonde. A gente quer tramways. A gente quer políticas públicas que desestimulem os carros mono-ocupados.

A gente quer calçadas. A gente quer vias fechadas para o tráfego de carros, que transformem em verdadeiros pontos de encontro urbanos. Queremos que mais dias da semana sejam um domingo no Eixão.

A gente quer ciclovias. A gente quer vias de rodagem onde a convivência de ciclistas e carros seja pacífica, possível. A gente quer vias que funcionem numa velocidade mais humana.

A gente quer bicicletas de aluguel – que sejam baratas, pagáveis, ou que tenha um sistema de empréstimo para quem não puder pagar. Porque, ao contrário do que ouvimos quando éramos crianças, a gente não tem cabeça, tronco e rodas, não. A gente tem pernas – e queremos utilizá-las.

A gente quer parques. A gente quer praças. A gente quer gente na rua. A gente quer iluminação pública, pra ter gente na rua mesmo de noite. A gente quer segurança pública. A gente quer quadras poliesportivas. A gente quer comércios abertos próximos a esses lugares, onde a gente possa comer e beber, que dê movimento de pessoas. A gente quer eventos públicos e gratuitos.

A gente não quer estacionamento subterrâneo na Esplanada. A gente não quer mais estacionamento em lugar nenhum. A gente quer que as pessoas tenham tantas ofertas boas, fáceis, acessíveis de transporte que elas não queiram tirar seus carros da garagem. Que, aliás, elas nem queiram ter um carro. Que elas nem se lembrem que carros existem.

A gente quer que todo mundo leia isto e isto antes de optar por uma solução simplória de quem resolve problemas sem levar em conta não o que somos hoje, mas o que queremos ser.

Entendeu?

Bora?
O Correio Braziliense está fazendo esta enquete. Pense bem em que cidade você quer viver e opine.

* foto emprestada daqui.

41 respostas em “A gente não quer estacionamento subterrâneo na Esplanada

    • Realmente as cidades crescem e se transformam, porem jamais dessa forma voraz. Faltaram políticas públicas para moradias para classe média e tome condomínios irregulares em cima de nascentes.
      Faltaram polílicas públicas para a área de transportes e o próprio governo ao invés de criar transportes públicos de qualidade incentiva a compra de carros com a redução de IPI e tome CO2.
      A gente não quer só comida,a gente quer transporte,moradia,saúde,educação e também e, muito merecidamente salarios justos e igualitários em todos os poderes para poder pagar diversão e arte e acesso para chegar até eles de qualquer parte de forma sustentável.
      Moçada : políticas públicas e GESTÃO

  1. A Esplanada me lembra Washington DC, mas só visualmente pq Lá os políticos chegam p trabalhar no capitólio de metrô. Lá existe transporte bom, confortável e no horário; se aqui houvesse essa opção não teríamos uma pesquisa de opinião em q mais de 40% das pessoas querem um estacionamento lá na esplanada…

  2. Carol, suas reflexões me lembraram muito o livro da Jane Jacobs, The death and life of great american cities. Para ela, é o movimento de pessoas e a ocupação do espaço público que traz sensação de segurança.

  3. Não que eu seja completamente a favor disso, mas na real, a UNESCO autorizou. Não tem nenhum risco de perder título de patrimônio mundial da humanidade. De todo jeito, gostaria que não tivéssemos esse título besta e pudéssemos adaptar a cidade de acordo com nossas demandas internas, ao invés de congelar tudo. Inclusive também boa parte do PPCUB estava no projeto inicial de Brasília, com loteamento do monumental e tudo mais. 😉

    http://www.sedhab.df.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/item/3244-nunca-houve-um-projeto-t%C3%A3o-transparente-e-t%C3%A3o-debatido-quanto-o-ppcub.html

  4. Precisamos sim de investimento no transporte público de Brasília, que é vergonhoso, não é digno de uma capital. É simplesmente insustentável um pensamento que privilegie os carros, entupindo a cidade de congestionamentos, contribuindo para a poluição e o mal-estar de todos. As pessoas vão comprar mais carros, o trânsito vai ficar pior e todos desejarão ter tido a opção de ir ao trabalho em um transporte rápido e eficiente, como o metrô ou um VLT. Chegarão sim, num estacionamento, cansadas e mal-humoradas depois de horas de engarrafamento. Quem dirige todo dia em congestionamentos sabe disso.

  5. Cidades para pessoas e não para carros! País desenvolvido é aquele que possui transporte público de qualidade! Chega de mais carros nas ruas poluindo nossas vidas! Enquanto países 1º mundo se adaptam a nova fase da terra que pede socorro, o Brasil insiste em viver no passado. Acorda Brasil!!!

  6. Valeu pelos links queridas! É importante que a população se conscientize do Canto da Sereia antes de opinar inocentemente. Uma obra interminável deixando um buraco no meio de Brasília por 2, 3 anos, muito provavelmente superfaturada (alguém duvida?) para no final ser cobrado preço de shopping vai resolver o problema de quem? Acorda Brasília!

  7. Adorei! Simplesmente uma ‘reprise’ dos meus incansáveis comentários e anseios. Por uma Brasília com mais segurança, movimento, atividades culturais, espaços, acessibilidade, opções, e, claro, transporte de qualidade! Parabéns!

  8. Eu também! Quero tudo isso e estacionamento subterrâneo na Esplanada. É muita inocência achar que dá para simplesmente sumir com todos os carros do DF de um dia para o outro.

    E também sumir com o “sonho do automóvel” de quem passou a vida inteira ralando, com pouco estudo, ganhando salário mínimo e tendo suas mentes formadas no esquema de que sucesso é carro, apartamento e roupa de marca. Talvez quem tenha nascido na classe média, tenha vivido a vida inteira no Plano, tenha ganhado seu carrinho aos quinze anos de idade (e hoje quer abdicar desse “conforto”) não entenda isso.

    Também não dá para achar que as cidades do entorno, seus prefeitos-coronéis e o Governo do GO, mesmo no médio prazo, vão adotar políticas públicas efetivas de transporte que amenizariam esse grande problema que é o transporte coletivo. Por isso, sou a favor não só do estacionamento, mas da implantação de vida cidadã na Esplanada. A Esplanada, assim como todo o plano piloto ainda são lugares inóspitos, principalmente para o trabalhador.

    • Vamos deixar claro. Não há solução para automóvel. Vai ficar ruim, vai permanecer ruim. Na verdade vai piorar.
      A única “solução” é psicológica. A pessoa acorda e lê no jornal: “A obra vai começar” E pensa: “Agora vai”. Dali a alguns dias, passam tratores, escavadeiras, operários de capacete. A pessoa toma um gole de café e pensa: “Está acontecendo, vai melhorar!”.
      Algumas semanas depois o pó se levanta da canteiro de obras que parece um formigueiro, a pessoa engole o almoço e pensa: “Logo logo está tudo resolvido”.
      Passam mais alguns meses e, no meio da última garfada da pizza do jantar, o Jornal Nacional anuncia: “Inaugura no próximo domingo”.
      Sabe o que vai acontecer na segunda-feira? Nada. A obra que gastou milhões só deu as sensação de resolver algo. O congestionamento ainda está lá. Mais gente vai vir de carro e as vagas não conseguem atender todo mundo. Os problemas mudaram de escala, mas estão iguais.
      Qual a “solução”? Propor uma nova obra para os automóveis. Aí sim, agora vai.
      Assistimos isso há 40 anos no Rio e em São Paulo, no mínimo. Vias expressas, quadras demolidas, viadutos enormes, túneis imensos. A situação só piorou.
      Então, é assim: DANE-SE a tal “realidade”. Não vai poder andar de carro e pronto. Só pra lazer. No dia a dia, não pode. Em São Paulo já há o rodízio de carros. Isso pode e deve ser ampliado.
      Os sonhos as pessoas mudam. E tem de mudar. Porque carro não é solução.
      Transporte coletivo de alta qualidade e conforto, ou nada de mobilidade.
      O resto é cegueira.
      Entendeu?

  9. Pingback: A gente não quer estacionamento subterrâneo na Esplanada | Brasília por Chico Sant'Anna

  10. Vai ser uma roubalheira tão grande, maior, até mesmo, do que o Mensalão, o Mané Garrincha, o Juiz Lalau e Luiz Estevão e muitos outros buracos feitos nos cofres da vaca gorda!!
    Quem viver verá!!!

  11. Isso aí é só pra dizer que o GDF trabalhou. Adoram investir no que se vê e não no que se sente! Precisamos de vagas? Sim! Mas também precisamos de saúde, segurança, qualidade de vida! Vai encher o bolso de muita gente, fora as filas! Sim, se isso for construído, vão haver as filas de entrada e saída de carros nas horas de pico, aí vamos ter diariamente um engarrafamento extra na Esplanada. Se querem fazer mesmo esse estacionamento, porque não mudam ele para a 901 e criam um sistema de transporte para os trabalhadores dos ministérios?

  12. Enquanto isso…. http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/03/cade-abre-processo-para-investigar-denuncia-de-cartel-em-4-estados-e-df.html

    O dinheiro público vai para o ralo, ficamos sem transporte público de qualidade, com maiores engarrafamentos e sempre tem alguém ganhando com isso (sempre!).

    Ainda não entendo como não passa pela cabeça de ninguém construir uma linha de metrô que saia da velha rodoferroviaria até a esplanada. Brasília não precisa de mais vagas! Brasília precisa já de um transporte público eficiente! Vergonha da “elite” e da classe média do DF que ignoram o problema (ou nem reconhecem que haja um problema).

    Qual é o tipo de cidade em que queremos viver? Essa é uma cidade para carros ou pessoas?

  13. Completando o texto da página:
    A gente não quer gente estacionando em qualquer lugar. Achando que calçada e rua é o mesmo que estacionamento. E não me venha com aquela desculpa de que mas em Brasília não vagas. Para o carro uma, duas, três quadras, mas não estacione em lugar proibido! Uma das coisas que por si só já melhoria o trânsito é se o Detran de fato cumprisse seu papel de fiscalizar e multar quem para em qualquer lugar. Depois de uma, duas, três multas as pessoas deixariam de ser tão folgadas e deixar o seu carro em qualquer lugar.
    Sou super ultra hiper a favor de um transporte público de qualidade, mas não sou totalmente contra a criação de um estacionamento subterrâneo na esplanada. Claro, se ele for bancado via CONCESSÃO. Assim como parte de rodovias e aeroportos brasileiros. Construção de estacionamentos não é papel do poder público, deixe isso para a iniciativa privada. Realmente há um déficit enorme de vagas na esplanda e se criação de um estacionamento subterrâneo pela iniciativa privada e pago pelos seus usuários melhorar a situação de “cemitério de automóveis” na qual a área central de Brasília se transformou, não vejo o projeto como sendo ruim. Lembrando que o projeto do estacionamento subterrâneo não é de apenas estacionamento, é de um complexo com restaurante, comércio e quem sabe, com um metrô chegando lá (SONHO!). Mas todo esse projeto tem que vir com um estudo de impacto ambiental, principalmente pela perde imensa da permeabilidade do solo.
    Acho que Brasília é um dos poucos lugares do mundo onde há tanta oferta de estacionamento público gratuito. No centro do Rio tem estacionamento privado: R$ 60,00 a diária.
    Se a construção for via concessão, não haveria dreno de recursos públicos para as políticas de transporte.
    Das bizarrices aprovadas no PPCUB na semana passada, a menos absurda é a construção de um estacionamento subterrâneo na esplanada. A construção da quadra 500 do sudoeste, a possibilidade de se ocupar o gramado central do eixo monumental com “equipamentos de cultura e lazer” e a possibilidade de fracionamento de lotes do setor de clubes são medidas piores, na minha opinião.

  14. Me lembro à alguns anos atraz , eu como profissional do volante, era uma tranquilidade dirigir e trabalhar por aqui, hoje sou fechado,xingado a toda hora e tenho que ficar feliz pois graças à Deus ainda não botaram uma arma no meu rosto, olha que minha cabeça está cheia de cabelos brancos, mas o governo quer é estimular mais venda de automóveis para arrecadar mais imposto.

  15. PPCUB – Veja o que RR Roberto, autor da 5ª Maravilha de Brasília, diz: AGRESSÕES URBANAS

    Você sabia que a Esplanada dos Ministérios, o cartão postal mais importante de Brasília está sendo reflorestada? Imagine o desaparecimento de parte do Congresso Nacional a partir da plataforma da Rodoviária Central por conta de uma barreira de arvores… Imagine o desaparecimento da maior praça do mundo caracterizada pelo imenso tapete gramado, por conta desta agressão…

    O quadrilátero Central da Plataforma dos Ministérios, marco principal do Eixo Monumental, foi planejado com o domínio total do gramado que se estende livremente entre o meio fio da primeira via norte e o meio fio da primeira via sul, descortinando o espaço entre a Rodoviária e o Congresso Nacional e proporcionando a mais bela visão urbana que uma cidade moderna pode ter.

    No entanto, Brasília vem sendo ao longo de sua historia, vitimada por ações em seu plano urbanístico e ate mesmo por algumas propostas arquitetônicas. Não buscam o mesmo critério aplicado por Lucio Costa, arquiteto, urbanista, humanista, professor, escritor e poeta, inventor da capital Federal Brasileira, “que imbuído de dignidade e nobreza de intenção, conferiu ao conjunto projetado o desejável caráter monumental”.

    Não bastasse o reflorestamento dos Eixos Rodoviários Norte e Sul, onde uma medida entre cheios e vazios, deveria ser buscada; Não bastasse uma ciclovia em pleno canteiro Central da Esplanada dos Ministérios; Não bastasse construções na orla do lago Paranoá, a exemplo do Píer 21, de arquitetura equivocada e estacionamento agressivo junto ás margens; Não bastasse a agressão aos princípios arquitetônicos de Brasília, com o projeto e construção do “Arco do Triunfo” e muralhas não sei de onde, no Pontão do Lago Sul; Não bastasse por vezes propagandas ofensivas maculando Edifícios Públicos, incluindo Congresso Nacional; Não bastasse a invenção de nomes quase que pejorativos (buraco do tatu) para identificar locais importantes da cidade, a exemplo da passagem de nível inferior da plataforma Rodoviária, obra da mais alta importância pela sua função urbana que junta e distribui todo o fluxo e destinos da cidade.

    De arquitetura arrojada e ao mesmo tempo simples e racional, ponto de cruzamento dos eixos Monumental e Rodoviário, exemplo maior da junção do urbanismo com a arquitetura que se torna difícil distinguir onde começa um e termina a outra; Não bastasse a intervenção da Novacap com a execução de “paisagismo” no Eixo Monumental entre Setores Hoteleiros Norte e Sul que não soma em absolutamente nada.

    Não bastasse o ridículo (paisagismo) no Eixo Monumental próximo a torre de TV em titulado (Jardins Burle Marx). Não bastasse as palmeiras plantadas em fila, a exemplo de Goiás Velho, nos canteiros Centrais Leste e Oeste do Eixo Rodoviário Sul, que eu mesmo como cidadão brasiliense e como diretor do atual Departamento de Arquitetura da Secretaria de Viação e Obras, hoje Sedur, denunciei ao professor Lúcio Costa motivo pelo qual veio a Brasília, mesmo não gostando de usar paletó e gravata e de viajar de avião. Chegando a Brasília procurou o então governador José Aparecido, também Secretario da Cultura, que não deu a menor importância, encaminhando apenas um pequeno bilhete ao responsável pela agressão.

    Na sua admirável humildade, Lúcio Costa ainda apresentou um plano de remanejamento das espécies no Plano Piloto, removendo-as daquele local. Tudo em vão. A falta de noção falou mais alto.

    Não bastasse tudo isto, a pior das agressões está em andamento: O Reflorestamento do Quadrilátero da Esplanada dos Ministérios. Resumindo, a recuperação deste magnífico espaço- Coração do Corpo Plano Piloto- é um dever de todos nós brasilienses e brasileiros, que deveremos contar com o apoio do Governo do Distrito Federal, da Câmara Legislativa, do Iphan, e demais órgãos responsáveis diretos ou indiretos. Se necessário, contar com a intervenção popular.

    Brasília, 03 Março de 2014

    RR Roberto Arquiteto, ex-diretor do atual Departamento de Arquitetura
    do GDF. Cidadão brasiliense e cidadão honorário de Brasília.

    Fone: 3364-5229

    • Ser contra ciclovias é FEIO. Como arquiteto vc deveria ser um tb um pouco mais SUSTENTÁVEL,não é?. O Pier é um horror mesmo,Porem horror , e este é político porque envolve interesse de poderosos , do governo, é a falta de acesso ao Lago onde mansões invadem a área verde e o seu ,o meu ,o de toda a população o direito de pelo menos poder caminhar pela orla do Lago. Dizem eles: é questão de seguraça!!!!! Segurança de quem,minha ou deles ? Meu IPTU e tão pago qto o deles e quem comprou o terreno sabia o que ia levar o pacote todo!
      Agora autoridades governamentais façam cumprir a ordem do MPDFT.
      DESOCUPAÇÃO IRREGULAR DAS ÁREAS VERDES DA ORLA DO LAGO.
      Meus parabéns a Dr Ludmila e sua equipe q está de frente desnudando esse abuso

  16. Queremos transporte publico de qualidade, que atenda a toda a demanda. Queremos que os politicos, trabalhem para a população e para o bem dela e das gerações futuras…..queremos que os politicos ande no meio do povo e com o povo….Queremos que BRASILIA seja preservada como foi planejada….queremos que o mercado imobiliario não interfira no quadrilátero do DF….chega de depredação… queremos que o eixo que passa pela torre de TV seja preservado de ponta a ponta…. não queremos garagens subterrâneas na esplanada…chega de propina …..chega de suborno….chega de roubo….chega de chantagem….chega…chega…..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s