Seu livro novo está aqui

ernesto

Não é puxando a brasa pra nossa sardinha, não (ok, até é), mas sabe o que me dá quando eu entro nessas livrarias grandes? Desespero. E não é desespero de sair comprando, não. É desespero de sair correndo, mesmo.

Uma seção gigante de esotéricos. Outra de auto-ajuda. Outra de livros de globais. Outra de livros de youtubers. Outra de livros enaltecendo personagens políticos que (spoiler) não vão resistir ao julgamento implacável da História.

Tudo bem a gente gostar de tudo isso. O problema é quando você, como eu, não gosta. É difícil mesmo encontrar opção. Está cada vez mais difícil entrar numa livraria megastore e cravar um #MeRepresenta.

É nessa hora que a gente entra, bora, Dani. Tcharããns!

Eu e meus amigos do Longe escrevemos livros fora da caixinha. Livros sobre o estranhamento, de que já falamos mil vezes aqui – inclusive dos meus filhos A Rua de Todo Mundo e A História de Você. A Dani e a turma dela escreveu o Paúra, um livro lindo sobre a síndrome do pânico.

Nós, e mais uma turma grandona, estaremos pela segunda vez domingo que vem no Ernesto Café, participando da feira A Outra Margem. Só livros de editoras independentes, de selos literários e gente sendo feliz.

Bora?
A Outra Margem
Domingo, 26/06, das 14h às 22h
Ernesto Café
CLS 115 Bl. C lj 14

Quando eu sou a criança que mora em mim

FullSizeRender (38)

Confissão de segunda-feira: eu  às vezes compro roupa de criança. Assim: pra mim. Eu amo vestir roupa de criança, devo ter algum problema mal resolvido na infância, sei lá, vou perguntar pra minha psicóloga. Eu simplesmente não resisto!

Eu amo as estampas! Eu amo os modelos! Eu amo a cara de feliz dessa galera nesses editoriais com essas roupas divertidas! Eu-me-identifico.

Também, gente, olha as irrestibilidades que as pessoas estão fazendo ultimamente! Conhece essa marca fofíssima daqui de Brasília, a ? Eles fazem roupas de brincar! De vestir, de ficar lindo e fofo demais, e de brincar. (Ok, eu não comprei um macaquinho com capa, mas eu queria.)

Fim de semana passado, conheci essa linda marca Wazo, que vende pela internet. A Marion, francesa que mora no Rio, faz roupas de criança com um charme parisiense louco, combinação de cores fofíssimas e umas estampas exclusivas que… por favor, dá pra fazer um pouco maior?

Quer surtar de fofura? Vai lá.

Bora?
Bé Faz a Ovelha
Do Meu Jeito
CLS 404, Bloco A, Loja 13

Wazo
Vendas online

Flor, café, livro e eu

IMG_7784

Existe um café bem singelo, bem simplinho, bem no meio de todas as flores e plantas do Pólo Verde, na saída pra Sobradinho. E eu não sabia disso.

Eu, que vou ao Pólo Verde só pra. Assim mesmo, sem motivo. Pra comprar óleo de neem, que eu podia comprar na quadra do lado da minha. Pra comprar um terrário de presente, que eu poderia comprar por telefone. Pra “ver preço” – que, na verdade, quer dizer “sem motivo”, só pra ir e ficar e ver as flores e andar pra lá e pra cá e pensar na vida.

Agora eu tenho um motivo a mais. Levo meu livro, tomo um café, ouço a turma da aula de mosaico animadíssima nas mesas ao lado. E fico lá.

Bora?
Café Aroeira
Pólo Verde, na saída para Sobradinho
Fechado aos domingos e feriados.

Viajar para se conectar

refugiados

Sabe aquele sonho bonito que você cultiva para uma vida paralela – quando você aposentar, ou os filhos crescerem ou você ganhar na mega-sena, ou, a bem dizer, nunca? A Talita pegou o dela e realizou. E sexta ela vem lançar o livro que nasceu dele aqui no Objeto Encontrado.

Ano passado, a Talita viajou pelo Oriente Médio para descobrir histórias de refugiados afetados pelo Estado Islâmico e pelos conflitos na Síria. Mas como ela mesma diz nesse vídeo que realizou para o crowdfunding, não espere encontrar tristeza e dramas: foi em busca de esperança que ela cruzou os sete mares.

E o resultado é um livro que me encheu de curiosidade – pela beleza, pelos desenhos, pelo otimismo, pela promessa de histórias diferentes desse nosso blablabla diário e por uma proposta ainda mais empolgante: além de trazer esse olhar generoso da Talita, “Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio” nos ensina a fazer como ela. Viajar em busca de conexão, não necessariamente de lugares.

Não podia deixar de ressaltar um detalhe: como vocês sabem, tem um lugar especial no meu coração para livros auto-publicados. Sempre acho que vale a pena.

O lançamento é esta sexta. Vamos viajar com ela?

Bora?
Lançamento do livro “Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio”
Sexta, 26/02, às 19h
No Objeto Encontrado
CLN 102, bloco B

Quando o lugar te dá um motivo a mais para comprar

12339663_497730673731861_1185293789638672365_o(1)

Este é um post de dica de presente de Natal, mas é também uma sugestão para o ano inteiro: quando for comprar alguma coisa, tente pensar em lugares bacanas. E por bacana entenda-se um lugar que te dê mais motivos para comprar do que a qualidade do produto.

Esse motivo a mais pode ser várias coisas. O fato de ser uma pequena empresa, de estar numa batalha contínua e pesada para manter o negócio e fazer um sonho crescer. O fato de ser produto local, que movimente a economia da sua cidade, criando oportunidades aqui, na sua vizinhança. O fato de ser uma empresa engajada em alguma causa que você defenda, solidária, criativa.

Um exemplo do que é um motivo a mais para mim é o grupo SQS – Só Que Sim. Criado no meio do ano, esse movimento tem hoje a participação de cinco lugares da cidade: Cobogó Mercado de Objetos, Endossa, A loja das camisetas legais, BSB Memo e Espaço Moulage.

Eles criaram essa campanha para celebrar uma cultura de não concorrência. São empresários que não acreditam na disputa de mercado, ao contrário. São parceiros, se visitam, compram entre si e divulgam uns aos outros. Se tem algo que pode ser chamado de bacana, é isso aí.

Bora resolver o presente de Natal?

Cobogó Mercado de Objetos

Endossa

A loja das camisetas legais

BSB Memo

Espaço Moulage

Não muito local – mas muito legal

IMG_3632

É a primeira e talvez mais grave concessão que abrimos ao nosso mantra de comprar localmente. Nossa sugestão hoje é… a Rua dos Outlets! Você nunca ouviu falar nisso? Pois existe! Pelo menos na minha cabeça, existe!

Eu sempre me encantei com essa mania de Brasília de criar ruas-de. Um ser humano abre uma elétrica, o que faz outro ser humano? Abre uma ao lado. E outra e outra e outra, criando assim a brasiliensíssima Rua das Elétricas, na 109 Sul. A mesma coisa com a Rua das Farmácias (102 Sul), Rua dos Restaurantes (que hoje são várias, mas originalmente era a 405 Sul), Rua dos Tecidos (tadinha, tá desfigurada, mas era a 306 Sul), e assim vai.

Outro dia me dei conta que a 308/9 Norte está cheia de outlets legais. Temos a Original Outlet, que é minha primeira dica porque eu acho dificílimo encontrar presente pra homem. E lá tem roupa masculina legal (mauricinha mas legal) por preços altamente compráveis.

Na sequência vem a Outlet Lingerie – uma opção ousada mas bem legal de presente, quando se tem intimidade pra isso. Tem ainda uma loja chamada Lavínia Outlet, que vende uma geleia geral de roupas femininas – uma seleção meio misturada, mas que conta com peças de marcas famosas por preços menos loucos. O destaque da loja é o café que vem acoplado: a primeira loja física da Brauny’s, marca de gordices que existe há três anos e que agora tem uma sede oficial do pecado gastronômico.

Confesso que este post ficou meio mauri e não muito compre-localmente. Mas vale pelo ponto de vista econômico e porque a quadra está com um astral legal, de passeio, compras e comida boa. E também porque tudo isso fica do lado da loja fofa da Flô, minha floricultura preferida. Não é outlet mas é local e combinemos: flores são a sugestão de presente mais linda que tem.

Bora?
Rua dos Outlets – 308/9 Norte
Original Outlet
CLN 308 bloco B loja 13
Outlet Lingerie
CLN 309 bloco C loja 21
Lavínia Outlet e Brauny’s Café
CLN 308 bloco D loja 11
Flô
CLN 309 bloco C subsolo loja 2

Já que é inevitável: vamos às compras!

12299301_797225187071269_1992314736114407122_n

Mas como nosso foco aqui é que você seja legal e dê presentes mas não ceda desesperadamente aos apelos consumistas, façamos desde logo um acordo: 1. nada de mega-shoppings: aquilo não faz bem pra sua pele, não faz bem pro seu humor; 2. compremos localmente, sempre que der; 3. bora economizar, que não está fácil pra ninguém.

Nossa primeira dica é o lançamento da loja Natural de Brasília, tocada pelas nossas parceiríssimas do Experimente Brasília, que vai reunir nossas marcas preferidas com certidão de nascimento brasiliense. A loja fica dentro do Liberty Mall – e embora a gente prefira a luz do dia, abrimos essa exceção pra este microshopping fofo e com os cinemas mais legais da cidade.

A loja é temporária: abre hoje e funciona até o último dia do ano, com criações dos criadores locais que a gente mais ama. Quero Melancia, Gurulino, Coletivo Transverso, Fabricado, o poeta Nicolas Behr – vai estar todo mundo por lá.

E destaque pra coleção linda que as meninas do Experimente fazem e que é a cara da cidade. Essa canga-faixa multiuso é a lembrancinha perfeita e do amor, mas tem vestido, camisetas e outras peças incríveis.

Bora?
Natural de Brasília
Loja temporária com os melhores criadores da cidade
De hoje a 31 de dezembro, no Liberty Mall
Via W1 Norte