O piquenique perfeito

piqueniques

Não sou muito dada a perfeições: pra mim o perfeito é o espontâneo, é o menos complicado e, principalmente, o que de fato aconteceu. Se a gente gasta tempo demais elaborando uma vida de Pinterest corremos o sério risco de paralisar e deixar escapar a vida real.

Isso é especialmente verdade quando o assunto é piquenique – porque, vamos combinar, piquenique de Pinterest dá trabalho. Fazer comidinhas lindas, fazer arranjo de flores, ter a toalha perfeita e ainda por cima levar tudo isso até um jardim agradável, prender bandeirinha, encontrar uma sombra… Só de listar já perdi a coragem.

Minha estratégia normalmente é menos glamurosa e mais prazerosa: pensar num lugar com um parquinho, fazer meia dúzia de sanduíches gostosos, comprar uns cookies prontos, botar cervejinha pra gelar e já é. Sejamos reais.

O problema que tenho enfrentado é a dificuldade de arrastar pra esse programa as pessoas que me ensinaram a amar piquenique décadas antes de isso ser moda: minha mãe e meu pai. Tá complicado pros coroas ficarem sentados na toalhinha xadrez sobre o gramado. Doi o bumbum, doem as costas – eles passam quinze minutos, dão a desculpa que têm de visitar a tia da vizinha e se mandam.

Por isso achei bem útil a ideia do Piquenique-se, uma marca de móveis de piquenique, mesas baixinhas, pufes confortáveis – tudo pra você curtir o programa sem ter dor nas costas. Bonitinho, né?

Essas belezinhas estão em exposição no Ernesto Café, em cafés da manhã especiais de domingo, já há algumas semanas. Amanhã é a última edição, que já está com as reservas esgotadas. Mas vale piquenicar nos gramados ao redor e dar uma olhada no seu próximo investimento de piquenique perfeito.

Bora?
Piquenique-se no Ernesto Café
Amanhã, 5/6, das 7h às 22h
CLS 115 Bloco C Loja 14
3345-4182

Em Brasília, 18h

IMG_7797

Eu posso ter desejos bem específicos às vezes. O atual é: tomar uma cervejinha cedo, antes do sol se pôr, em alguma região de muitos escritórios ao redor.

Acho que é um desejo autêntico de happy hour, de viver coletivamente aquela sensação de fim de obrigação, aquela alegriazinha boba de ter matado o leão do dia e ter pela frente algumas horas pra ficar bestando. Escrevendo agora lembrei dos comentários que o Lúcio Costa fez quando revisitou a rodoviária do Plano Piloto – é um desejo de Brasil de verdade, de lastro popular, que andamos precisando disso, de vida real, decidida longe de gabinetes e salões verdes e azuis.

Dia desses sentei sozinha no Cine Centro São Francisco. Outro dia descobri essa lindeza aí da foto: um samba de happy hour no Setor Comercial Sul, de uns amigos que tocam na Praça dos Artistas, em frente ao Churrasquinho Express. Mas indo lá encontra-los, esbarrei em outras iniciativas parecidas em outros pontos do SCS. Já coloquei na lista dos desejos.

É isso. Se de repente surgir um desejo específico de happy hour em região de muitos escritórios ao redor, já sabe: me chama.

**EDIÇÃO: Pessoal, atenção! Fiquei sabendo que, por causa do feriado, não vai ter esse sambinha do SCS hoje. Sexta da semana que vem eles retomam os trabalhos.

Bora?
Do trabalho para o samba, no Churrasquinho Express
Hoje, às 18h
SCS Quadra 5

Saúde delivery

IMG_7661

Eu sou daquelas que devora documentários e vídeos contra agrotóxicos, morro de preocupação com o que estamos fazendo da saúde dos nossos filhos – mas, na hora de fazer compras, trinta minutos pra encher a despensa pra semana inteira, compro tudo no supermercado mesmo, correndo, rapidinho, fazendo unidunitê na hora de escolher o tomate e a maçã, rezando pra pegar o sortudo que escapou por milagre do banho de veneno mais maldoso.

Daí que me empolgou demais a ideia da Carota – comida sem veneno: ter uma cesta de orgânicos entregue em casa toda semana. Primeiro, claro, pela promessa de uma alimentação mais saudável. Segundo, a bem-vinda economia de minutos preciosos na minha gincana semanal no supermercado. Terceiro, e aí eu adiciono minha animação natural com a vida, vi na opção da cesta surpresa que eles oferecem uma brincadeira de fim-de-semana.

Me certifiquei com a turma da Carota que a cesta surpresa nunca será samba de uma nota só: nem só hortaliças, nem só tubérculos, nem só frutas, mas uma mistura de tudo. Daí resolvi encarar a seleção deles como um desafio meu – imaginar uma mistura criativa com o que eles me entregarem.

A primeira semana veio essa sacola aí da foto. Rolou salada de cenouras, suco de limão com gengibre, e o abacate ainda vai virar guacamole. Amanhã chega a próxima cesta – e eu já estou conversando aqui com minha amiga Rita Lobo pra descobrir o que vou fazer com ela.

Bora?
Carota Comida Sem Veneno

A falta que faz o lugar afetivo

vitaminacentral2

Sábado de manhã saí animadona pra tomar café na rua. La Panière: fechada até 20 de janeiro. Dylan Café: fechado até 29 de janeiro. Ernesto Café: fechado também (só até anteontem, já reabriu). Confesso, bateu o pânico.

Lembrei disso e ri quando meu amigo José Maria Palmieri escreveu, ontem: “Janeiro em Brasília – 5 anos de análise. Vitamina central fechada até o dia 17 – 50 anos de análise”.

Eu, que nunca fui muito de frequentar aquele templo apertadinho da geração saúde na W3, resolvi perguntar pro Zé quais os bons motivos que fazem ele esperar mais dez dias pra poder ser feliz novamente.

“Porque aquele lugar existe desde a década de 70, quase sem mudar o cardápio. A vitamina vem numa jarra que enchem dois copos: Adrenalina, Bomba Atomica, Mafiosa, Saborosa são apenas algumas da extensa lista. Os salgados não param de sair e estão sempre quentes. O pão de batata com queijo de minas é o grande hit. Este período, em que a vitamina central entra de recesso, me traz uma certa melancolia, mas para ser exato, me traz um desamparo. Já morei em São Paulo e no Rio onde casa de suco é coisa comum. Mas, como um bom candango, nunca deixei de ser fã e frequentador assíduo da Vitamina Central. Passei uns 12 anos fora de Brasilia e sempre que voltava, era certeiro um pulo até lá, até mesmo para rever amigos. O curioso é que o lugar passou por uma reforma e continuou apertado mas nunca vi caber tanta gente sedenta! De volta a Brasília desde 2008, bato o ponto nos fins de tarde e agora que vou ficar por aqui em janeiro, só me resta esperar o dia 18”.

Houve um tempo em que Brasília ficava realmente deserta em janeiro – e a gente realmente se deprimia com isso. Hoje acho isso mais fofo do que ruim. Me faz lembrar da importância dos nossos lugares afetivos, celebrar até a ausência deles – e a volta, quando eles voltarem.

Resgatei do fundo do coração o que sentia em Paris em agosto: quando morei lá estranhava à beça, até as farmácias fechavam nas férias. Eu estranhava mas achava bom – ficava pensando que os meus comércios de bairro eram feitos de gente de verdade, que estava feliz e se divertindo, e que voltaria cheia de energia em setembro.

Aproveitem, pessoas dos lugares afetivos. Encham-se de sol e de energia. Esperamos por vocês até o fim de janeiro.

Bora?
Vitamina Central
CRS 506 Bloco A loja 63
3244-2866

Quer fazer sucesso com a sobremesa de Natal? Pergunte-me como!

LIMA2

 

Você foi convidado para uma ceia de Natal e está em desespero, sem saber o que levar? Mais grave: você é o responsável pela ceia inteira da família e está encostado na parede, deslizando pouco a pouco até o chão, completamente atropelado por 2015? Eu tenho a solução para todos os seus problemas.

  1. Recentemente descobri a LIMA – Flour & Flower, marca de doces feitos sob encomenda pela Adriana Lima. Eu a conheço superficialmente, mas dá pra sentir a doçura dela à distância, pelo olhar. Provei o gâteau de chocolate e amendoim com recheio de caramelo salgado e meu deus… Não me lembro de ter comido um bolo tão delicado antes. Dá uma olhada nas fotos desses doces, peloamordedeus: clique aqui.

Como:
Ela aceita encomendas para o Natal até sábado (19), no email: adriana@limaflourandflower.com.br
Entrega na Asa Sul/Norte, Lago Sul/Norte e Sudoeste

2. A minha padaria amada e idolatrada La Paniére teve a audácia de criar uma receita especial de panetone. Não tem química, a fermentação é natural e dura três dias. Foram dois meses de testes até chegar à receita ideal, e ficou per-fei-to. Tem de chocolate e de frutas cristalizadas. Você pode aproveitar e encomendar rabanadas fritas ou assadas, feitas com aquele pão francês insuportável de bom.

Como:
Encomendas até terça-feira (22), pelo telefone 3245-6280
A padaria funciona até o dia 24, às 17h
211 sul, bloco A

3. No Lá em Casa Cuisine D’Amis, você pode encomendar não só a sobremesa, como a ceia inteira. O cardápio especial de Natal e Ano Novo tá lindo, e ainda tem as tortas doces e salgadas do cardápio tradicional. Já soube que uma convidada da minha família encomendou as tortinhas folheadas, pra levar como entrada da ceia, e decidi que essa pessoa será chamada todos os anos. Zero interesse, puro amor.

Como:
Encomendas até segunda-feira (21), pelo telefone 3710-9700
Cardápio de Natal e Ano Novo – clique aqui
208 Sul, bloco C

Foto acima: Rafael Facundo/Divulgação LIMA – Flour & Flower

Três dias de delícia

10448470_1636549789951173_6343091809096362704_o

Uma pausa rápida na loucura de fim de ano. Preciso avisar quem ainda não foi avisado que hoje começa um evento muito bacana e com entrada gratuita. É a primeira edição do Mercado Mundi, com uma programação intensa dedicada à alimentação.

Vai ter stands de chefs da cidade (dá só uma olhada no tanto de gente boa que vai participar) e stands de importadores e produtores. Vai ter palestra, aula de gastronomia, filme, fotografia. Vai ter um monte de coisas legais lá no IESB da asa sul.

É um evento para saborear e para aprender, refletir, discutir temas necessários. Dá uma olhada na programação e corre lá!

Bora?
Mercado Mundi
De sexta a domingo – 4/12 a 6/12
Das 12h às 22h
IESB – 613/614 Sul
Entrada Franca

A Festa dos Estados está de volta

bandeiras-estaduais

A minha melhor lembrança da Festa dos Estados é de muitos anos atrás (não vou fazer contas): eu era criança, e minha mãe e minha tia estavam representando o Piauí, vendendo gostosuras que fazem parte da minha raiz: Maria Isabel e paçoca de carne de sol.

A década era de 80, e a Festa dos Estados era O evento de Brasília, aguardado ansiosamente a cada ano. Era realmente uma festa, mais do que uma feira, e era também uma oportunidade de todo mundo matar saudades da terra natal. Afinal, naquela época, todos os adultos em Brasília eram migrantes – olha que loucura.

O evento que nasceu junto com a cidade e já teve mais de 50 edições volta diferente neste ano. A chef Renata Carvalho, do Ancho Bistrô e Loca Como Tu Madre, foi chamada para escolher os chefs de Brasília que vão representar a culinária de cada Estado, e o resultado é uma gula antecipada.

Vai ter New Koto e Pizza Parque (São Paulo), O Bistrô Escondido (Pernambuco), Jambu (Amazonas), Recanto do Camarão (Ceará), Acarajé da Rosa (Bahia), Sabor Maranhense (Maranhão), Centro de Tradições Gaúchas (Rio Grande do Sul), Olivae (DF), só pra citar alguns. Os pratos serão vendidos por até R$ 25.

Ah sim, vai ter artesanato e música também, claro. É que eu só penso em comida neste momento, e não são nem 11 horas da manhã.

Bora?
ExpoEstados 2015
25 a 29 de novembro
Estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha
Ingressos: R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira)